fechar× Entre em contato +55 71 3042-7807 +55 71 9 9964-4534

CAR: prazo para cadastro encerra em 5 de maio

blog-image


O Ministério do Meio Ambiente divulgou o balanço do Cadastro Ambiental Rural (CAR), com dados até 29 de fevereiro de 2016. Do total da área passível de cadastro no País (397,86 milhões de hectares), 67,58%, ou 268,86 milhões de hectares, constavam na base do sistema até o mês passado. O avanço foi tímido, de menos de três pontos porcentuais, ante janeiro/2016, conforme os números divulgados pelo Serviço Florestal Brasileiro, responsável pelo CAR no MMA.

Em janeiro, 64,86%, ou 258,05 milhões de hectares, haviam sido cadastrados. Em relação ao número de imóveis, até agora foram inseridos 2,436 milhões, ante o total de 5,2 milhões de imóveis do País, conforme dados do Censo Agropecuário do IBGE de 2006.

O prazo para que todos os proprietários rurais preencham e entreguem o CAR - que é obrigatório - expira no dia 5 de maio deste ano. Até lá, mais 32% da área, que abriga 2,7 milhões de propriedades rurais, terá de ser inserida no sistema. Para atingir a meta, teriam de ser feitos 54 mil cadastros por dia. Entretanto, de um mês para outro o avanço foi lento. Conforme dados do Serviço Florestal Brasileiro, 105.620 imóveis rurais foram cadastrados no período, área equivalente a 6,05 milhões de hectares.

Em maio do ano passado, quando venceu o primeiro prazo - depois prorrogado pelo MMA para maio deste ano - para a inscrição no CAR, a extensão de área inscrita no CAR era pouco menor do que a atual, 53,56%. Entidades como a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) vêm negociando nova prorrogação da entrega do cadastro, já que agora, pelos números apresentados, a maior parte dos imóveis a serem inseridos no CAR é de pequenas propriedades, cujos proprietários teriam dificuldade no acesso à internet e na inserção de mapas da propriedade com referências geodésicas no sistema.

Até fevereiro de 2016, a região que estava mais avançada no preenchimento, em termos porcentuais, era a Norte, com 83,93% da área passível de cadastro, segundo o MMA. A lista segue com Sudeste (67,41%), Centro-Oeste (65,56%), Nordeste (38,45%) e Sul (35,67%). No Acre, Amapá, Amazonas, Roraima, Maranhão e Rio de Janeiro, o porcentual de área cadastrada supera os 100%, ou seja, a área registrada no CAR, em hectares, é maior do que a inicialmente prevista pelo Serviço Florestal - baseada no Censo do IBGE de 2006, de dez anos atrás.

Por Estados, na Região Norte, o Pará já cadastrou 69,39% da área; Rondônia, 86,26% e Tocantins, 57,96%. No Nordeste, Alagoas tem apenas 15,64% da área inserida no CAR; Bahia, 25,44%; Ceará, 26,65%; Paraíba, 17,34%; Pernambuco, 13,55%; Piauí, 29,59%; Rio Grande do Norte, 32,46% e Sergipe, 29,64%.

Já no Centro-Oeste, o Distrito Federal conta com 38,89% da área passível de cadastro na base do CAR; Goiás, 57,08%; Mato Grosso do Sul, 38,45% e Mato Grosso, 80,01%. No Sudeste, o Espírito Santo cadastrou 25,26% da área rural; Minas Gerais, 65,63%; São Paulo, 75,75%.

No Sul, Santa Catarina lidera, com 69,71%, seguido por Paraná, com 52,12% e Rio Grande do Sul, com apenas 13,07% - o Estado é o que tem a menor taxa de imóveis cadastrados do País.


Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO
 

Comentários

Deixe um comentário

Informação: não é permitido conteúdo HTML!
* Campos obrigatórios